BAR FC

Jean e a realidade que incomoda

Compartilhar
Lucas Sales

Lucas Sales

Goleiro tricolor é um dos destaques do Brasilerão

A data era 22 de abril de 2015. Diante de cerca de 41 mil pessoas, que lotavam a Fonte Nova, o Bahia via suas chances de título despencarem após falha primária de Jean e derrota por 1 a 0 ante o Ceará, na final da Copa do Nordeste. Não… para!! Não dá mais para iniciar todo texto sobre o arqueiro tricolor falando da mesma forma. Não importa qual seja o viés da matéria: vai falar sobre Jean? É regra lembrar da sua falha. Passou! Página virada! Com apenas 21 anos o goleiro não só deixou de ser uma promessa para tornar-se realidade, como também desponta como uma das revelações do Campeonato Brasileiro, sondado, inclusive, pelo poderoso futebol europeu.

Convocado diversas vezes para as categorias de base da Seleção Brasileira, Jean foi titular em todas as partidas do Mundial Sub-20 de 2015, onde o Brasil sagrou-se vice-campeão. O desempenho com a camisa canarinho foi tamanho que, pouco depois, ele voltou a ser convocado, desta vez para compor a lista de suplentes da histórica caminhada do ouro olímpico. Contrastando com a pífia campanha do Bahia neste Brasileirão, o goleiro vive hoje a melhor fase da sua curta carreira, colecionando atuações de destaque, brigando pela liderança do ranking de defesas difíceis e despertando constantemente a curiosidade da imprensa nacional e internacional. Um passarinho contou, inclusive, que em breve o Camisa 1 irá por em prática seu exaustivo treinamento em cobranças de falta.

Entretanto, não importa a qualidade do atleta, para grande parte da torcida, Jean possui um grande defeito: ser oriundo da base. Se você for torcedor tricolor, deixo aqui uma lição de casa. Na próxima partida em que você for para a arquibancada assistir ao Bahia de perto, após o tricolor sofrer um gol (tomara que não aconteça), observe bem a sua volta, não importa as circunstâncias do gol sofrido, SEMPRE você encontrará alguém responsabilizando Jean pelo revés. A sina com as crias da base não é exclusividade do Bahia, mas sim da dupla BaVi, que possui uma paciência com seus atletas que beira a zero e, por outro lado, tem a calma de um monge para com jogadores oriundos de outros clubes. Ou será que você até pouco tempo não escutava os gritos de: “Põe Maikon Leite!”?

É óbvio que, com apenas 21 anos, muito ainda deve ser trabalhado e falhas precisam ser corrigidas, a exemplo do tempo e posicionamento nas saídas de bola, que já comprometeram Jean algumas vezes nesse ano. Visto isso, o treinador de goleiros do Bahia, Thiago Mehl, vem implementando sua peculiar e intensa metodologia de treinamentos, visando corrigir imperfeições e aprimorar os atributos. Vale lembrar que, tipicamente, a traiçoeira posição de goleiro tem como característica proporcionar o auge da carreira em uma idade um pouco mais elevada quando comparada com outras posições. Foi assim com Rogério Ceni, Marcos, Dida, Fernando Prass, Vitor, entre outros arqueiros de destaque recente do futebol brasileiro, que viveram suas maiores glórias dentro de campo próximo aos 30 anos de idade.

Comentários

Blog/Opinião

2017 - todos os direitos reservados.